Diário de Escrita Almakia 3 – #03

Prólogo, kdê vc?

Um começo para um livro 3 tem que ser épico?
2013-02-11 22_32_00
Sim, Lhaisa, vai lá escrever logo e larga de mimimi! o/

Pensando assim, essa parte importante não se desenvolvolvia de jeito nenhum. Mesmo sabendo o que ele deveria contar, já tinha escrito vários esboços e nenhum parecia bom o suficiente. Então, usei uma técnica que sempre funciona, mas que é bem complicada de executar: esquecer o querer fazer algo épico e simplesmente buscar o que é para ser a essência dos prólogos da história.

Lá em 2010, quando comecei a série, queria colocar no prólogo um start, e escolhi o primeiro espirro da Garo-lin (tipo, ela tecnicamente é a principal, merece aparecer xD). Conforme a história cresceu, pensei que deveria ter uma outra parte no prólogo, introduzindo o que era o mundo de Almakia e como ele chegou no que estava naquele momento. Então, praticamente resultou em dois prólogos: o da personagem e o do mundo. O primeiro seria algo que eu iria continuar em cada começo de livro, enquanto o segundo seria algo com pistas em cada livro e terá um desfecho no último. (Siiiiiim, toda aquela explicação sobre o Domínio de Almakia é fundamental; não para que o leitor entenda o universo da história, mas sim para a própria história \o/ É um registro importante, e agora no livro 3 vamos saber de onde ele vem xD). No livro 2 o prólogo foi sobre a Kidari, que é importante (e quem leu o livro já sabe todo o motivo). No livro 3 são três personagens importantes. Só que além de eu escolher um deles, teria que ter o cuidado de deixar os outros bem evidentes. Todos mereciam que esse pedaço sobre a vida deles tivesse uma leitura impactante. Então, usando aquela técnica que mencionei, pensei no mais simples e, a partir disso, o que foi desenvolvido ficou épico.

Mesmo que a princípio eu quisesse cenas cheias de significados, no fim tudo virou apenas uma cena repleta de significados (= um poder tremendamente maior na leitura). Essa cena faz com que um momento recente da história desperte lembranças e são elas que resumem todo o foco que será dado para o livro 3.

Foram meses até eu resolver abandonar a série de cenas que tinha planejado para o prólogo e escrever apenas um momento. Mas, depois de ver ele pronto, sei com todo o meu almaki que foi a escolha certa xD Além de resumir tudo o que eu queria passar, ainda abre espaço para a deixa do prólogo do livro 4 já xD

Algo a se mencionar: quando finalmente decidi por qual personagem seria mais importante contar os acontecimentos, foi como se toda uma cortina se abrisse. Com isso veio também o rumo que deveria seguir para todo o livro, o propósito que deveria estar acima de tudo nele. Não, não vou contar qual é xD

Sim, ficou bem grande esse diário, mas achei que era algo a se contar. Tanto o começo da história quanto o final são as coisas mais difíceis de escrever (não sei se para todo o escritor, mas acho que muitos também ficam nessa situação xD). O Começo justamente por ele ter essa carga de guiar todo o resto da história, ser a porta de entrada. E o final por ele ter que criar a vontade de ler o próximo da série (se tiver) ou dar um ponto final para tudo. O meio também tem um peso, mas podemos ver muito mais pela brincadeira do que pela responsabilidade de escrever xD

Por hoje é tudo, pessoal! Até a próxima! o/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s