Afinal, o que é fantástico? – Parte 05

E chegou o momento de falarmos de Ficção Científica.

Peraí, Lhaisa! Ficção Científica é fantasia?

091

Claro que é! Naves espaciais e sabres de luz são tão fantasia quanto navios voadores e varinhas mágicas! A única coisa que muda é a roupagem dada. No mais, é um monte de coisas que vão além da realidade.

Porém, como o assunto é abrangente, o melhor é dividir para facilitar, não? Então, toda a fantasia relacionada com o científico ganha uma classificação só dela: a Ficção Científica. Por ela não ser tão magia viajada, as pessoas tendem a vê-la como algo mais próxima de real, e algumas até são. Durante muitos anos, livros dessa área tentam nos dar um vislumbre do que seria o nosso mundo tecnológico mais adiante, e isso é tão fascinante quanto descobrirmos sobre o nosso passado ou sobre outras dimensões, não é? xD Fantasia é um mar de possibilidades infinitas, e dentro disso a ficção científica sempre se agarra em possibilidades que poderiam ser reais.

Maquina-para-ler-pensamentos

Mas, vamos lá para a explicação didática:

Ficção Científica é uma forma de ficção desenvolvida no século XIX, que lida principalmente com o impacto da ciência, tanto verdadeira como imaginada, sobre a sociedade ou os indivíduos. O termo é usado, de forma mais geral, para definir qualquer fantasia literária que inclua o fator ciência como componente essencial e, em um sentido ainda mais geral, para referenciar qualquer tipo de fantasia literária. Em inglês o termo ficção científica é às vezes abreviado para sci-fi ou SF. Em português, é abreviado para FC.

cultura-abril2012-002-535x400

Este tipo de literatura pode consistir em uma cuidadosa e bem informada extrapolação sobre fatos e princípios científicos, ou abranger áreas profundamente rebuscadas, que contrariam definitivamente esses fatos e princípios. Em qualquer dos casos, o ser de forma plausível baseado na ciência é um requisito indispensável, e assim obras precursoras deste gênero, como o romance gótico Frankenstein (1818), O Médico e o Monstro (1886) são considerados ficção científica, enquanto que Drácula (1897) não.

Frankenstein-boris-karlof-em-A-Noiva-de-Frank

Há, evidentemente, muitos casos de obras que se situam na fronteira do gênero, usando a situação no espaço exterior ou tecnologia de aspecto futurista, apenas como decoração para narrativas de aventuras ou de romance, e outros temas dramáticos típicos; um bom exemplo é a série Star Wars (tira todo o aparato tecnológico e o que temos? Um faroeste no espaço! xD).

star-wars-wallpaper-14

O verdadeiro início da ficção científica, contudo, dá-se no final do século XIX com os romances científicos de Júlio Verne, cuja ciência se situava ao nível da invenção, bem como as novelas, cientificamente orientadas, de crítica social de H. G. Wells.

fantasia2

Issac Asimov é um grande nome dentro do gênero, assim como os outros já citados aqui. Este em especial merece destaque por dar ênfase na sociedade, na sua forma de lidar com o impacto do científico em seu âmago.

Isaac-Asimov

Para quem não leu nenhum dos livros como eu (confesso que ainda não li os livros, só informações sobre, mas é algo que vou resolver logo, logo), os filmes servem para nos dar uma noção. Eu, robô é um bom exemplo 😀

Até o próximo post o/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s